terça-feira, 14 de dezembro de 2010

O que é mais doloroso -- um câncer ou um leão dormindo dentro de nós?

Há mais de trinta anos, o juiz Álvaro Mayrink da Costa, em entrevista à revista “Veja”, declarou: “Em todo homem há um leão adormecido e acordá-lo é só uma questão de oportunidade”. Agora, o psiquiatra francês David Servan-Schreiber, também em entrevista a “Veja”, revela: “Todos temos um câncer dormindo dentro de nós. É nosso estilo de vida que vai ou não determinar seu desenvolvimento”.Afinal, o que é mais doloroso: ter um câncer ou um leão dormindo dentro de nós? O psiquiatra se queixa de uma doença física, muitas vezes incurável. O juiz se queixa de uma doença moral, também muitas vezes incurável. Na verdade a luta contra o “leão” é mais difícil do que a luta contra o câncer. Além do mais, nem todos são acometidos pelo câncer, porém, ninguém está livre da tendência pecaminosa. Trata-se de um problema sério, do qual todos se queixam, em qualquer lugar e em qualquer tempo.O filósofo francês Jean François Mattei escreveu um livro sobre o assunto, intitulado “A Barbárie Interior”, no qual assevera: “O mal não vem do exterior, nós o carregamos dentro de nós”.O sacerdote ortodoxo russo Aleksandr Mien, assassinado em 1990, ensina: “O mal que o homem encontra mais amiúde em sua vida é o mal que vive dentro dele”.A escritora brasileira Raquel Stivelman assevera: “O homem comum carrega dentro de si impulsos para o bem e para o mal”. E acrescenta que, “infelizmente, os impulsos negativos, violentos ou destruidores ultrapassam em número, em muitos casos, os que são marcados pela generosidade e pelo altruísmo”.O líder católico mexicano José H. Prado Flores, em seu livro “Ide e Evangelizai os Batizados”, afirma: “O pecado não é algo que possamos impedir que entre em nós, mas algo que sai do fundo do nosso ser”.Há muitos outros testemunhos sobre a presença do gênio do mal no mais interior do nosso ser. Trata-se de um problema largamente abordado pela teologia judaica e cristã. O autor de Eclesiastes não hesita em declarar que “o coração dos homens está cheio de maldade e de loucura, durante toda a vida” (Ec 9.3). E o “Talmude” lembra que “a paixão é, primeiro, uma estranha; depois, torna-se hóspede; e, finalmente, é a dona da casa”. Jesus deixou claro que “é de dentro dos corações dos homens que saem as intenções malignas” (Mc 7.20). É desse “leão adormecido” que Paulo se lastima: “Minha nova vida manda-me fazer o que é correto, porém a velha natureza que ainda está dentro de mim gosta de pecar” (Rm 7.23, BV).


http://www.ultimato.com.br/revista/artigos/315/o-que-e-mais-doloroso-um-cancer-ou-um-leao-dormindo-dentro-de-nos

5 comentários:

Genilda disse...

Não sei o que é mais lamentável: saber que uma má atitude moral mora dentro de nós, ou passar a vida inteira sem conseguir controlá-la.
Nesse caso, a decisão é nossa em tomar uma atitude, disso vai depender toda nossa vida.

Dulce Moraes disse...

Esse texto nos leva a refletir e muito sobre nossas atitudes.
Parabéns pelo texto.

HADASSAMGT disse...

A hostilidade que habita em cada um de nós é algo de nossa essencia e a decisão em deixá-la vir acontecer no dia a dia é uma questão de carater e indole.Estou certa que se tivermos obediencia a Palavra de Deus ,não há riscos de tomarmos posturas não recomendadas por Cristo Jesus.amem

fotos disse...

temos que matar um leao todos os dias, assim diz o meu pastor.
É verdade, só o Senhor pra nos controlar, Ele é o construtor e tem todo dominio sobre nos, se deixar-mos

Maria Teresa disse...

Olá sou a Maria Teresa e tenho 12 anos,adorooo o seu blog e o jeito como vc escreve!
Tenho um blog também, e adoraria que vc entrasse para conferir, me siga e me deixe um coment's!

Espero sua visita!
Um beijo

www.ligadissimas.com